outubro 2016

Monthly Archives

Últimas histórias

  • Crise no hospital Giselda Trigueiro será debatida no Conselho Estadual de Saúde (CES)

    A situação de crise no hospital Giselda Trigueiro, especializado no atendimento de doenças infecto-contagiosas, será apresentada na manhã desta terça-feira (01), na reunião do Conselho Estadual de Saúde (CES). A reunião ocorre no auditório da Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap), a partir das 08h30. O secretário estadual de Saúde, George Antunes, estará na reunião para discutir o panorama financeiro da pasta.

    Na manhã desta segunda, uma comissão de conselheiros e do Sindsaúde-RN reuniu-se com a direção do hospital e em seguida percorreu todos os setores, inclusive a pediatria, cujo fechamento está sendo preparado.

    A crise é percebida pela sujeira no hospital. Dos 39 terceirizados que atuavam na limpeza, a Sesap manteve apenas 14, que se revezam em grupos de apenas três ou quatro por plantão. “Não dá pra fazer a limpeza toda. A gente recolhe o lixo e tenta limpar o que dá”, admite um servidor da limpeza. Durante à noite, a escala conta com apenas um funcionário para a limpeza de todo o hospital, que tem 98 banheiros.

    Em uma enfermaria, a comissão encontrou uma acompanhante limpando o banheiro, com um balde e água sanitária. Ela usava apenas sandálias. “A enfermeira me avisou que eu não poderia fazer isso, que corro risco, mas vou fazer o que? Deixar meu pai, que está com uma bactéria, exposto a essa sujeira?”, questiona. Em outros setores, acompanhantes também disseram se revezar na limpeza. A falta de higienização se repete em outros locais, como a nutrição.

    Caos.

    (Foto: GoogleMaps)

  • Crise no hospital Giselda Trigueiro será debatida no Conselho Estadual de Saúde (CES)

    A situação de crise no hospital Giselda Trigueiro, especializado no atendimento de doenças infecto-contagiosas, será apresentada na manhã desta terça-feira (01), na reunião do Conselho Estadual de Saúde (CES). A reunião ocorre no auditório da Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap), a partir das 08h30. O secretário estadual de Saúde, George Antunes, estará na reunião para discutir o panorama financeiro da pasta.

    Na manhã desta segunda, uma comissão de conselheiros e do Sindsaúde-RN reuniu-se com a direção do hospital e em seguida percorreu todos os setores, inclusive a pediatria, cujo fechamento está sendo preparado.

    A crise é percebida pela sujeira no hospital. Dos 39 terceirizados que atuavam na limpeza, a Sesap manteve apenas 14, que se revezam em grupos de apenas três ou quatro por plantão. “Não dá pra fazer a limpeza toda. A gente recolhe o lixo e tenta limpar o que dá”, admite um servidor da limpeza. Durante à noite, a escala conta com apenas um funcionário para a limpeza de todo o hospital, que tem 98 banheiros.

    Em uma enfermaria, a comissão encontrou uma acompanhante limpando o banheiro, com um balde e água sanitária. Ela usava apenas sandálias. “A enfermeira me avisou que eu não poderia fazer isso, que corro risco, mas vou fazer o que? Deixar meu pai, que está com uma bactéria, exposto a essa sujeira?”, questiona. Em outros setores, acompanhantes também disseram se revezar na limpeza. A falta de higienização se repete em outros locais, como a nutrição.

    Caos.

    (Foto: GoogleMaps)

  • Crise no hospital Giselda Trigueiro será debatida no Conselho Estadual de Saúde (CES)

    A situação de crise no hospital Giselda Trigueiro, especializado no atendimento de doenças infecto-contagiosas, será apresentada na manhã desta terça-feira (01), na reunião do Conselho Estadual de Saúde (CES). A reunião ocorre no auditório da Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap), a partir das 08h30. O secretário estadual de Saúde, George Antunes, estará na reunião para discutir o panorama financeiro da pasta.

    Na manhã desta segunda, uma comissão de conselheiros e do Sindsaúde-RN reuniu-se com a direção do hospital e em seguida percorreu todos os setores, inclusive a pediatria, cujo fechamento está sendo preparado.

    A crise é percebida pela sujeira no hospital. Dos 39 terceirizados que atuavam na limpeza, a Sesap manteve apenas 14, que se revezam em grupos de apenas três ou quatro por plantão. “Não dá pra fazer a limpeza toda. A gente recolhe o lixo e tenta limpar o que dá”, admite um servidor da limpeza. Durante à noite, a escala conta com apenas um funcionário para a limpeza de todo o hospital, que tem 98 banheiros.

    Em uma enfermaria, a comissão encontrou uma acompanhante limpando o banheiro, com um balde e água sanitária. Ela usava apenas sandálias. “A enfermeira me avisou que eu não poderia fazer isso, que corro risco, mas vou fazer o que? Deixar meu pai, que está com uma bactéria, exposto a essa sujeira?”, questiona. Em outros setores, acompanhantes também disseram se revezar na limpeza. A falta de higienização se repete em outros locais, como a nutrição.

    Caos.

    (Foto: GoogleMaps)

  • UERN: espanto e indignação com declarações de Cláudio Santos

    Após o presidente do Tribunal de Justiça Cláudio Santos defender a privatização da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UERN) como solução para a crise que o governo do RN vem enfrentando, a UERN reagiu. Confira a nota:

    É com espanto e indignação que a Universidade do Estado do Rio Grande do Norte – UERN toma conhecimento da declaração do presidente do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte – TJRN, desembargador Cláudio Santos, durante entrevista ao RNTV 1ª edição desta data (31/10/2016), sugerindo a privatização da UERN. A “proposta”, num improviso gerencial, não tem lastro jurídico, social nem econômico.

    A UERN é um órgão estadual, criado por lei, que há mais de 48 anos vem formando pessoas nas mais diversas áreas do conhecimento, com ênfase nos profissionais para a educação básica, tanto na graduação quanto na pós-graduação.

    A Universidade implementou diversas medidas para adequação de suas despesas à realidade orçamentária e financeira estadual, dentre as quais a implementação do teto salarial, racionalização de alugueis, descontinuidade de oferta de cursos em Núcleos Avançados de Ensino Superior, revisão de contratos, além de focar na captação de recursos fora do Erário Estadual, tais como convênios com a União e Entidades de Fomento.

    Sugerir, por outro lado, que o Estado conceda bolsas de até R$ 1.500,00 para cada aluno, como opção ao enfrentamento do “custo” de R$ 20 milhões por mês, sem mencionar ou conhecer que a UERN conta com mais de 15 mil alunos, é um despropósito financeiro, dado que o montante ultrapassaria R$ 22,5 milhões, muito além do suposto “gasto” com a Instituição.

    Nos momentos de crise, como a que ora atravessa o Rio Grande do Norte, os esforços das melhores inteligências do Estado deveriam se unir para formular soluções duradouras e viáveis para o desenvolvimento da região, e não apontar propostas mirabolantes, que apenas mascaram os graves problemas de distribuição dos recursos públicos entre os diversos Poderes e Órgãos do Estado.

    PEDRO FERNANDES RIBEIRO NETO
    REITOR

    (Foto: DeFato.Com)

  • Servidores do Deoclécio Marques fazem ato nesta terça exigindo segurança

    Os servidores do Hospital Regional Deoclécio Marques, em Parnamirim, realizam nesta terça-feira (01), às 09h, uma manifestação contra a falta de segurança no hospital. Eles denunciam que a segurança na entrada do hospital vem sendo assumida por um maqueiro.

    Recentemente, em um plantão noturno, um usuário de drogas invadiu o hospital, quebrou uma porta e chegou a agredir uma técnica de enfermagem. Não há segurança no interior do hospital

    Outro problema: hoje (31), 37 pacientes estão sendo atendidos em macas no hospital, sendo que 18 diretamente no corredor.

    Falta tudo. Mas, problema é o que não falta.

    Só lembrando que o serviço de segurança nos hospitais estaduais é feito por empresas terceirizadas, como a empresa Garra que ainda não pagou os salários de julho aos funcionários.

    Uma lástima!

    (Foto: Sindsaúde-RN)

  • Servidores do Deoclécio Marques fazem ato nesta terça exigindo segurança

    Os servidores do Hospital Regional Deoclécio Marques, em Parnamirim, realizam nesta terça-feira (01), às 09h, uma manifestação contra a falta de segurança no hospital. Eles denunciam que a segurança na entrada do hospital vem sendo assumida por um maqueiro.

    Recentemente, em um plantão noturno, um usuário de drogas invadiu o hospital, quebrou uma porta e chegou a agredir uma técnica de enfermagem. Não há segurança no interior do hospital

    Outro problema: hoje (31), 37 pacientes estão sendo atendidos em macas no hospital, sendo que 18 diretamente no corredor.

    Falta tudo. Mas, problema é o que não falta.

    Só lembrando que o serviço de segurança nos hospitais estaduais é feito por empresas terceirizadas, como a empresa Garra que ainda não pagou os salários de julho aos funcionários.

    Uma lástima!

    (Foto: Sindsaúde-RN)

  • Vídeo: o pau comeu entre um cidadão e assaltante em Natal

    Tudo aconteceu na tarde da última sexta-feira (28) em Natal.

    Tentativa de assalto no bairro Nordeste. Conversinha na calçada, moto chegando, arma em punho.

    Um cidadão entra em luta corporal com o  assaltante. E por pouco não acontece uma desgraça.

    Vi, revi, olhei de novo frame a frame o vídeo. Acredito que se não fosse a senhora que aparece no vídeo, teria acontecido uma desgraça.

    Sinceramente, não sei quem sairia no caixão…

  • Vídeo: o pau comeu entre um cidadão e assaltante em Natal

    Tudo aconteceu na tarde da última sexta-feira (28) em Natal.

    Tentativa de assalto no bairro Nordeste. Conversinha na calçada, moto chegando, arma em punho.

    Um cidadão entra em luta corporal com o  assaltante. E por pouco não acontece uma desgraça.

    Vi, revi, olhei de novo frame a frame o vídeo. Acredito que se não fosse a senhora que aparece no vídeo, teria acontecido uma desgraça.

    Sinceramente, não sei quem sairia no caixão…

  • Cláudio Santos: Vou trabalhar para repassar R$ 100 milhões ao Estado

    O presidente do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte, desembargador Cláudio Santos, anunciou hoje (31), no programa RN TV 1ª Edição, que vai ‘trabalhar’ no repasse de R$ 100 milhões para o governo do RN. Com uma condição: o dinheiro deverá ser aplicado nas áreas da saúde e segurança pública.

    O Judiciário potiguar mostra que está preocupado com a situação caótica do Rio grande do Norte.

    Agora, eu fico imaginando e rindo aqui com a cara do governador esperneando pra saber de onde vai tirar a mufunfa para pagar os comissionados e blogueiros da imprensa do governo.

Carregar...
Congratulations. You've reached the end of the internet.