Abril 2017

Monthly Archives

Últimas histórias

  • Caos: mais de 800 mortes violentas no RN em 2017

    O Observatório da Violência Letal Intencional no Rio Grande do Norte (OBVIO-RN) divulgou ontem (28) o número de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs) registrados no RN nos 4 primeiros meses de 2017: chegamos a 801.

    Alarmante? depende. Se você tiver pendurado nas tetas do governo Robinson dirá que não está tão ruim assim… Né verdade?

    E o “governo da segurança” segue quebrando todos os recordes!

  • A "escolha de Sofia" no 190: um "governador da segurança" sem vergonha

    Vejo matéria na Tribuna do Norte que mostra como o RN foi enganado pelo Sr. Robinson que faria e nada fez. Que seria o melhor governo de todos os tempos além de ser o “governador da segurança. O que vemos hoje? Até a vergonha perdeu. O povo não tem mais a quem recorrer. E fica por isso mesmo. Veja matéria abaixo.

     

    Serviço 190 tem falhas no atendimento

    Por Aura Mazda e Ricardo Araújo

    Com efetivo insuficiente nas áreas administrativa e operacional, além do número reduzido de viaturas, os agentes  que operacionalizam o Centro Integrado de Segurança Pública do Rio Grande do Norte (Ciosp/RN) precisam realizar verdadeiras “escolhas de Sofia” ao atenderem um chamado através do 190, o principal canal de comunicação da população com as forças policiais. O Centro conta, atualmente, com um terço da mão de obra humana necessária a manter em atividade os 12 pontos de atendimento instalados na sede do órgão, no Centro Administrativo, zona Sul da capital. Longe dali, nas ruas, o baixo número de policiais militares aliado ao quantitativo insuficiente de viaturas, piora a difícil tarefa de garantir a segurança da população potiguar. Em alguns casos, o pedido de socorro via Ciosp jamais foi efetivamente atendido.

    Após momentos de terror e ligações perdidas para o 190, Maria Luiza foi orientada a procurar uma DPApós momentos de terror e ligações perdidas para o 190, Maria Luiza foi orientada a procurar uma DP

    A assistente social Maria Luiza Teixeira até hoje espera a chegada de uma viatura da Polícia Militar na casa onde mora, na praia de Cotovelo, em Parnamirim. Ela viveu momentos de terror durante um assalto que durou mais de duas horas na quinta-feira passada, dia 20.  Maria Luiza, o marido e um vizinho foram amarrados enquanto os bandidos saqueavam a residência. O marido dela, mesmo cirurgiado, não foi poupado pelos bandidos e acabou sendo agredido fisicamente. Ela relatou que ligou para o número 190 do Ciosp e o atendente informou que enviaria uma viatura ao local. Ela ficou esperando das 23h às 4h pelos policiais e desistiu. Nenhum agente de segurança foi ao local do crime. “Ainda liguei outras vezes e não tive sucesso. Fico com um sentimento de desamparo”, relatou a assistente social.

    “O contexto geral é realmente a falta de estrutura. Nos contamos com falta de efetivo e guarnição. Não podemos dizer que está a mil maravilhas, porque não está”, reconheceu o coordenador do Ciosp adjunto, major Joe Weider. Ele relatou que, por dia, o Ciosp recebe uma média de quatro mil ligações e, 85% delas, são descartadas. “São pedidos de informações, trotes, assuntos não ligados à segurança”, explicou. De 10%  a 15% dos registros são efetivamente efetivados e concluídos com envio das viaturas policiais. O caso da assistente social Maria Luiza Teixeira se enquadra, porém, nas ocorrências registradas, mas não finalizadas.

    De acordo com o coordenador do Ciosp adjunto, as ocorrências são atendidas por critérios de relevâncias. “Homicídio, por exemplo, é uma ocorrência com maior potencial. O envio da guarnição de torna prioritário, pois a vítima ainda pode ser socorrida e o óbito evitado. Nos casos de furtos e roubos, que correspondem a 70% dos registros, a investigação fica a cabo da Polícia Civil e nem  sempre é possível enviar viatura de imediato”, disse. O baixo efetivo de agentes de segurança e viaturas policiais, porém, não suaviza as tristes lembranças de quem foi vítima da violência urbana. “Além do terror psicológico com ameaças e armas de alto calibre apontadas para nós, eles deram coronhadas e chutes no meu marido. Ele chegou a ficar inconsciente e passou mal”, relatou Maria Luiza à TRIBUNA DO NORTE.

    Sobre a demora das viaturas policiais chegarem aos locais das ocorrências, Joe Weider reconheceu que a situação é crítica. Ele é major de Polícia Militar e está na Corporação há quase 30 anos. “Os Batalhões (de Polícia Militar) estão operando com guarnições abaixo do nível crítico. Eu não posso negar isso, pois se comprova nas ruas. Nas zonas Norte e Sul de Natal, são três ou quatro viaturas. O ideal seria de 10 a 15 viaturas em operação diariamente. O operacional é hoje o nosso maior calo”. A TN tentou contato com a assessoria de imprensa da PM, além do comandante do Policiamento Metropolitano. As ligações não foram atendidas ou retornadas.

    Os números do Ciosp

    4 mil chamadas/dia (média);
    12 pontos de atendimento de ligações do 190;
    4 deles ativos;
    18h às 22h – horário considerado critico;
    Sexta é sábado são os dias com maior número de registros de ocorrências.

  • O desapontamento de Geraldo Melo

    Com o esquentamento na semana pelas militâncias, simpatizantes e cricris  de plantão — devido a Greve Geral marcada para esta sexta-feira (28) —, O ex-governador Geraldo Melo criticou a Igreja Católica por ser  contrária às reformas e por ter convocado os fiéis para a paralização nacional.

    E deu o que falar.

  • O desapontamento de Geraldo Melo

    Com o esquentamento na semana pelas militâncias, simpatizantes e cricris  de plantão — devido a Greve Geral marcada para esta sexta-feira (28) —, O ex-governador Geraldo Melo criticou a Igreja Católica por ser  contrária às reformas e por ter convocado os fiéis para a paralização nacional.

    E deu o que falar.

  • Justiça aceita denúncia contra Rinaldo Reis

    O juiz Pedro Rodrigues Caldas Neto, titular da 18ª Vara Cível de Natal, aceitou denúncia contra o procurador-geral de Justiça Rinaldo Reis.

    Na ação, movida pelo Sindicato dos Servidores do Ministério Público do Estado do Rio Grande do Norte (Sindsemp), Federação Nacional dos Servidores dos Ministérios Públicos Estaduais (Fenamp) e Associção Nacional dos Servidores do Ministério Público (Ansemp), Rinaldo é acusado de utilizar mais de R$ 83 mil em diárias pagas pelo Ministério Público para fins privados.

    Aguardando o desenrolar.

Carregar...
Congratulations. You've reached the end of the internet.